Facilitador e Instrutor. Palestrante, se preciso for…

Posts marcados ‘cadeia produtiva’

Porto Alegre realiza treinamento para taxistas

Amanhã (quarta-feira, dia 11) ocorrerá mais uma adição do Porto Alegre Turística, promovida pela Secretaria Municipal de Turismo (SMTur) para taxistas inscritos no curso Táxi Turismo, do Serviço de Aprendizagem do Transporte (Senat). O público-alvo são os profissionais que trabalham em pontos fixos da capital gaúcha, como hotéis, aeroporto e shopping centers.

A programação se iniciará às 9h com um workshop, onde a equipe técnica da SMTur repassará noções básicas sobre o que é atividade turística e a cadeia produtiva, além de informações atualizadas sobre os principais atrativos da cidade. Os profissionais conhecerão dados sobre o perfil do visitante que a capital gaúcha recebe. Na sequência, às 10h30, os taxistas farão um passeio de familiarização no Linha Turismo, no roteiro Zona Sul.

Fonte: http://www.panrotas.com.br

Abapa instala Centro de Treinamento em Alimentação para atender o Oeste da Bahia

Publicado: 30/03/2010 07:43

Texto Catarina Guedes/Milena Brasil
Quem pensa nos agentes da cadeia produtiva da cotonicultura, muito dificilmente lembra deste elo: os cozinheiros das fazendas. Mas, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão – Abapa, atendendo a uma demanda antiga e constante dos produtores do Oeste da Bahia, passou a investir na qualificação deste profissional que garante o “combustível” dos operadores de máquinas, safristas, agrônomos, maquinistas, classificadores, pilotos, dentre os muitos braços que movem uma unidade de produção. Na última sexta feira, 25 de março, a Abapa inaugurou em Barreiras o Centro de Treinamento em Alimentação, uma estrutura montada para promover a reciclagem de profissionais manipuladores de alimentos e capacitar novos profissionais nesta área. A meta da Abapa para o primeiro ano é capacitar 500 pessoas que já atuam nas fazendas e outras 100 iniciantes.
Construído com recursos do Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão – Fundeagro, e em parceria com a empresa Agrosul Máquinas Ltda,  que cedeu o prédio onde foram instalados os equipamentos da cozinha experimental, o Centro de Treinamento em Alimentação faz parte do Projeto AlimentAÇÃO, iniciativa da Abapa que nasceu no início deste ano e já vinha acontecendo pontualmente dentro das próprias fazendas. Durante a inauguração, que teve participação dos produtores, representantes de classes locais, sociedade civil, além do bispo da Diocese de Barreiras, D. Ricardo Weber Berger, que abençoou as instalações, ocorreu também a primeira cerimônia de diplomação dos profissionais já treinados pelo Projeto.
Apesar do foco no trabalhador rural, a Abapa pretende estender os serviços do Centro de Treinamento em Alimentação aos possíveis interessados de toda a sociedade da região, como, por exemplo, a crescente rede hoteleira e de restaurantes. “Há dois aspectos muito importantes neste projeto: o bem estar do trabalhador rural e a qualificação da mão de obra, que são contribuições diretas da entidade para a melhoria nos índices de desenvolvimento e na qualidade de vida na região”, explica o presidente da Abapa, João Carlos Jacobsen.
Segundo Marcelino Flores, da empresa Agrosul, a necessidade constante de treinamento da mão de obra no Oeste motivou a empresa a se juntar à iniciativa. “Pessoas capacitadas são importantíssimas para a região, e a Abapa, uma entidade forte, nos credencia a acreditar neste projeto”, afirma.
Estrutura curricular – Aulas práticas e teóricas, distribuídas em uma programação de cinco dias e carga horária de 40 horas, compõem a grade curricular. Cada turma tem no máximo 10 pessoas. No comando do curso está a nutricionista Patrícia Castanharo, contratada pela Abapa, que explica que a satisfação do trabalhador rural no emprego passa necessariamente pela boa alimentação.
“Uma dieta nutritiva, saudável e, é claro, saborosa não só faz diferença do ponto de vista fisiológico, como indica o cuidado do produtor rural com os seus colaboradores”, diz a nutricionista. Por isso, os alunos do AlimentAÇÃO incrementam as técnicas de preparo que já conhecem, aumentam o repertório de receitas e aprendem formas novas de preparar os pratos, aproveitando melhor o potencial das matérias-primas com o uso, por exemplo, de cascas e talos dos vegetais, que são ricos em nutrientes e fibras. As aulas incluem ainda o manejo seguro dos materiais para evitar contaminação.
“A qualificação visa a orientar os participantes para oferecer produtos e serviços diferenciados para as empresas e para a comunidade, possibilitando melhores chances de inclusão e remuneração destes profissionais no mercado de trabalho, além promover a saúde do trabalhador rural.”, diz Patrícia Castanharo.
De acordo com João Carlos Jacobsen, a construção de um centro montado especialmente para este tipo de atividade foi um passo natural do Projeto, e o que se espera a médio prazo é atingir com ele a totalidade dos profissionais da região.
“A cotonicultura do Oeste da Bahia alcançou um índice admirável de qualificação, que reflete na qualidade da nossa fibra, sem dúvida a melhor do Brasil e uma das melhores do mundo. Nossa prioridade é a qualificação do produtor e dos profissionais que trabalham diretamente com o negócio algodão. Mas vemos a cotonicultura não apenas como uma cadeia, e sim como uma trama, um tecido, no qual cada um desses agentes é um fio que encorpa essa malha. Por isso, todos têm de ser fortalecidos e merecem atenção”, diz Jacobsen.

Fonte: http://www.jornalnovafronteira.com.br

Nuvem de tags