Facilitador e Instrutor. Palestrante, se preciso for…

Arquivo para outubro, 2008

O Valor de Um Olhar de Fora

Enquanto alguns tipos perdem as suas cabeças quando enfrentam um ambiente de negócios conturbado, outros relaxam, sobrevivem e prosperam.

Ok, Ok, o céu está caindo portanto pare de correr em circulos, em vez disso use a energia e o dinheiro para sobreviver e melhorar o modo como as coisas são feitas e pense em como prosperar na próxima bonança … sim, a seu tempo o céu sempre melhora.

Você viu alguma vez algum cartão de consultor de negócios que não dissesse que eles podem conduzi-lo ao pote de ouro embaixo do arco-íris? Mas aqui é onde a coisa fica engraçada… eles podem.

Penso que os seres humanos possuem um limitada memória RAM e que muitos gerentes de negócios estão sobrecarregando esta memória deixando de pensar nas coisas e agarrando-se a hábitos e modelos … nenhuma necessidade de pensamento. Seres humanos não funcionam no seu potencial mais alto quando estão estressados.

Fico tentado a indicar ações específicas que um gestor deve fazer durante uma crise econômica, mas fiz isto em outros artigos. Este artigo é sobre um novo pensamento, um artigo que escrevi durante o último declínio econômico.

Um Vice-Presidente Comercial de uma companhia internacional tinha-me indicado a CFO da sua região. Ele estimulou-me a conversar com esta executiva e explicar o escopo dos meus serviços de treinamento e consultoria.

Depois de deixar três mensagens num período de duas semanas, recebi uma chamada do Gerente Regional, o subordinado da CFO. Comecei a explicar o que faço quando o executivo me interrompeu. “A consultoria de muito de prestígio no Reino Unido, Roben, Blind & Howe, fez uma avaliação das nossas funções de negócios e com a exceção de alguns itens menores, eles validaram os nossos processos”.
Ouvindo a palavra “validação” imaginei como deve ser pagar um consultor para entrar e acariciá-lo nas costas, pedir para dizer-lhe o que você está fazendo certo.

Guardando os meus pensamentos para mim, disse ao Gerente regional, “Isto é ótimo, é sempre uma boa idéia ter uma companhia para dar uma olhada mais isenta nos negócios.” Então perguntei como a minha firma pode ajudá-los com a sua próxima avaliação. “Oh não, teremos a Roben, Blind & Howe novamente.”, disse o Gerente regional. Depois de mais alguns minutos de conversação ficou claro para mim que eu desperdiçava o meu tempo. O Gerente Regional deixou claro que sua chefe, a CFO Regional costumava trabalhar com a Roben, Blind & Howe e que ela não estava interessada em trabalhar com nenhuma outra firma de treinamento ou consultoria.

Quando todo o mundo que senta à mesa de reuniões foi da mesma escola, tem uma experiência de vida comum e a mesma compreensão das coisas, você não adquire novas idéias, soluções ou melhorias. De fato, esta espécie da “procriação consangüínea corporativa” limitará o crescimento intelectual, o que resulta em mais do mesmo pensamento. “Insanidade é fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes.”, disse Ray Kroc, fundador do McDonald’s.


Não Sabemos O que não Sabemos

Mohandas K. Gandhi foi acusado uma vez de ter dito algo que esteve em conflito com uma afirmação prévia. A sua resposta foi algo como, “não desperdiçarei o meu tempo pedindo desculpas pelo que eu disse no passado. Só posso procurar ser fiel à verdade como ele me-se revela.” Não sabemos o que não sabemos.

Não importa quão inteligente um gerente ou equipe de gerência é, não há ninguém que conheça absolutamente tudo. Às vezes o valor verdadeiro de ter uma consultoria com uma visão externa de como as coisas são feitas é que elas fazem perguntas estupidas porque não sabem como as coisas são feitas. Contratar um consultor que sabe como você faz coisas limita a recuperação do investimento potencial.
Outra coisa a considerar é como você utiliza o orçamento de treinamento, e se você não tem um orçamento de treinamento adquira um. Como investir o dinheiro? Tente algo novo como treinamento em vídeo, ou e-learning.

Quando os negócios diminuem a marcha é tempo de podar as árvores e preparar-se para a estação seguinte, é tempo de ver algumas novas caras em volta da mesa.
“A sabedoria é a integração de pensamento e análise baseada na experiência acumulada.”

– Elkhonon Goldberg no livro “The Wisdom Paradox: How Your Mind Can Grow Stronger As Your Brain Grows Older” (O Paradoxo de Sabedoria: Como A sua Mente Pode Tornar-se Mais Forte Quando Seu Cérebro Se Torna Mais Velho)

Anúncios

Administração de Conflitos Pantanosa

Muitas lágrimas e frustração no seu escritório ultimamente? Se você vive um clima de paz no escritório então desfrute-o feliz, se não, assegure-se que você não está sozinho nesta. Aqui estão alguns destaques do Relatório “O Conflito no Local de Trabalho – Como as Empresas Podem Armar-se para Propserar”, da CPP, Inc., empresa californiana de desenvolvimento humano.

Gerentes acreditam que suas habilidades de administração de conflitos são melhores do que seus empregados pensam que são o que pode estar custando às companhias americanas aproximadamente 359 bilhões de dólares por ano em perdas de mão-de-obra. A pesquisa da CPP concluiu que quase um terço de todos os gerentes entrevistados considera-se experiente em administração de conflitos.

Mas somente um quinto dos funcionários acredita que o seu gerente trata o conflito de forma apropriada.

Aproximadamente 31% dos gerentes acreditam que eles trabalham bem o conflito;

22% dos funcionários não-administrativos acreditam que seus gerentes fazem um grande trabalho ao lidar com as discordâncias;

43% dos empregados não-administrativos acreditam que seus gerentes não tratam o conflito tão bem como deveriam;

23% dos gerentes sentem que não tratam o conflito tão bem como deveriam.

Conclusão da CPP: Se o reconhecimento da existência de um problema for o primeiro passo em direção à solução, este gap pode indicar um problema sério. É até mais grave à luz das conclusões do estudo quanto aos efeitos negativos do conflito no local de trabalho. Segundo o relatório, 14% dos pesquisados faltaram ao trabalho ao menos um dia por estarem abalados devido a uma situação de conflito, com quase um em cada 10 funcionários ausentes além de um dia. 38% dos profissionais de RH deixaram o emprego em conseqüência de um conflito. A maior parte dos conflitos ocorre em equipes operacionais, que podem ampliar o seu impacto no funcionamento de um negócio.

Entre aqueles que investem tempo tratando os conflitos, 81%  viram resultados desejáveis como inovações, melhores soluções, e aumento da motivação; 76% viram o conflito levar a um resultado positivo; 41% viram o conflito levar à melhor compreensão dos outros e 29% viram-no levar a uma melhor solução para um problema no local de trabalho.

Pulga Atrás da Orelha: Você está ensinando a equipes de trabalho a rirem em conjunto em tempos estressantes e não puxarem os cabelos uns dos outros? Qual é a sua estratégia para estimular um ambiente de trabalho agradável?

Se Você não Rir Você Gritará

Você alguma vez ficou paranóico pensando no modo como certos funcionários na sua folha de pagamento não sorriem agradavelmente – alguma vez? Não é muito agradável pensar nisto (preferível pensar em aplausos e otimismo) mas você certamente conhece funcionários que não só não sorriem e dizem “olá” para os outros como também emitem más vibrações, tais como olhar suspeitosamente um colega de cima a baixo, levantar as sobrancelhas em vez de uma expressão facial amistosa; e às vezes olhar em qualquer direção menos na da pessoa. A simples idéia de sorrir e dizer “olá” parecer-lhes odioso. Não é necessário ser extrovertido, ou até um grande amante das pessoas, mas tentar ser pelo menos agradável e simpático não causa bolhas ou qualquer outro mal.

Os tempos são ásperos e estresse prevalece, portanto certamente não podemos culpar os funcionários se eles não tiverem vontade de sorrir, mas se a sua empresa estiver sofrendo desta aflição, isso poder ser mais do que desagradável; pode significar que você tem um problema de retenção de mão-de-obra em suas mãos. Quem quer trabalhar em um local triste, não importa o quão alta é a remuneração? Talvez os profissionais de treinamento devam unir-se com seus pares de recurso humanos para bolar uma estratégia de iluminar o humor do ambiente. Naturalmente, o céu proíbe, você não quer cortar a produtividade, mas que tal alguns concursos de anedota do mês ou um quadro em cada andar onde funcionários ponham propagandas divertidas de revistas e jornais? Além da risada, o material compartilhado também poderia estimular novas idéias e criatividade. Uma empresa da área de inovação de Nova York no ano passado levou a idéia a um extremo – em todo lugar que se olhe no escritório existem anedotas compartilhadas que trazem inspiração e entretenimento.

Sentir-se feliz e entretido mais do que ajuda a cultivar um ambiente de trabalho feliz; conserva-se as mentes dos funcionários vigilantes em suas tarefas. Quando você está triste, o cérebro parece atuar inconscientemente em um esforço para escapar e uma espécie de depressão surge. O funcionário infeliz está trabalhando, mas somente fisicamente, no seu interior, ele/ela de fato nunca saiu da cama naquela manhã.

Uma vez por mês faça um concurso da história de serviço de cliente, do erro de operações da empresa, ou da gafe em serviço mais engraçada, além da risada alentadora, pedir aos funcionários para compartilhar aquelas histórias em um ambiente cômodo facilita a digestão dos problemas que levaram aos momentos “engraçados”. Ensine-os a tratar de forma mais construtiva suas frustrações no local de trabalho, e logo eles aprenderão a tratar mais construtivamente o estresse. O processo de compartilhar anedotas em serviço com pares criará mais camaradagem.

O pior é um escritório onde desaprova-se o riso, dizendo que a risada é um sinal de que não estão levando seus empregos a sério. Isso é o que os americanos chamam de bullshit, até médicos riem um bocado no trabalho!

Qual é o grande acordo? Estimular executivos em programas de desenvolvimento de liderança a serem um modelo de alegria junto com eficiência e lhes ensinar táticas para cultivar um ambiente mais calmo, “aberto para dar risadinhas e não gritar de desespero”.

Você está ensinando a equipes de trabalho a rirem em conjunto em tempos estressantes e não puxarem os cabelos uns dos outros? Qual é a sua estratégia para estimular um ambiente de trabalho agradável?

Fonte: www.cpp.com

Conheça meu curso de Administração de Conflitos na página da Convergir Educação Corporativa

Nuvem de tags